O escritor pernambucano Diogo M. de Almeida lança Restos de Família, que traz uma seleção de contos escritos entre 2018 e 2020 e publicados nas redes sociais do autor. As histórias reunidas no volume têm em comum a família como eixo temático, sendo abordado pelo autor através de diferentes perspectivas e
gêneros literários, como ficção científica, horror e fantasia.

Da vasta produção escrita nesse período, foram selecionados 15 contos, que ganharam um tratamento editorial e agora saem pela Vacatussa.

Com um senso de humor, o autor apresenta neste volume histórias curtas e diálogos inteligentes que refletem sobre questões sociais, relações afetivas e independência.

Leia mais sobre livros na Revista O Grito!: ensaios, lançamentos e críticas

Por conta da pandemia do novo coronavírus, o livro sai apenas em versão e-book, disponível na
plataforma Kindle, da Amazon. O livro é vendido pelo preço de R$ 9,90 e toda a renda obtida com os royalties das vendas serão convertidas em doações a grupos e iniciativas sociais que atuam em Pernambuco para amenizar as consequências da pandemia entre moradores de rua, na distribuição de
quentinhas, roupas e utensílios de higiene pessoal.

O volume de contos Restos de Família inaugura a Coleção Solidária, uma ação idealizada pelo próprio autor e assumida pela editora Vacatussa. “Por acreditar que a literatura pressupõe diálogo, capaz de promover a conversa entre seres de diferentes épocas, culturas, espaços e classes sociais, a Coleção foi pensada como vetor de transformação, não apenas no campo das ideias, mas também como forma de arrecadação de fundos a serem destinados para doação”, diz a apresentação da editora.

Já estão confirmadas outros títulos envolvendo obras de nomes como Cristhiano Aguiar, Gilvan Lemos, Carol Rodrigues, Marcelino Freire, Nathalie Lourenço, Diogo Monteiro, Joana Rozowykwiat e Sidney Rocha, em edições solo e coletâneas com vários autores.

Divulgação/Vacatussa.
Leia Mais
Conto: Geleia de mocotó