Dirigido por Julia Murat, o longa-metragem Regra 34 recebeu na noite da última sexta-feira (9), em Cuba, o Prêmio Especial do Júri na 43ª edição do Festival Internacional do Novo Cinema Latino-Americano de Havana. Com distribuição no Brasil pela Imovision, o filme tem estreia nacional prevista para 19 de janeiro de 2023.

A obra, que também neste ano levou o Leopardo de Ouro, prêmio máximo do Festival de Locarno, na Suíça, e o prêmio de Melhor Direção de Ficção da Première Brasil, no Festival do Rio, conta a história de Simone (Sol Miranda), uma jovem negra que acabou de ser aprovada na defensoria pública e que começa a atuar na defesa de mulheres em casos de abuso. No entanto, seus próprios interesses sexuais a levam a um mundo de violência e erotismo.

Sobre a construção do roteiro, Murat explica que este foi um processo construído a muitas mãos. “Neste processo, Gabriel Bortolini [diretor assistente e casting] foi fundamental. Cada encontro, com cada ator, era um processo de sala de roteiro. Depois tivemos um intenso trabalho com os atores escolhidos e o roteiro e os personagens foram novamente modificados. Os atores, todos, mas em especial Sol Miranda, trouxeram outras camadas, aprofundando os personagens. Trabalhar com uma equipe e elenco negros, tendo eles espaços criativos, não é apenas um projeto antirracista. É sobre construção de novas subjetividades e sobre profundidade narrativa”, detalha.

Regra 34 é uma produção das brasileiras Esquina Filmes e Bubbles Project (“Benzinho”, “Família Submersa”, “Pendular”) em parceria com a francesa Still Moving.

Leia Mais
O adeus a Erasmo Carlos: Artistas e famosos se despedem do cantor