Diplomata José Mauricio Bustani. Créditos: Pedro Rossi.

O doc Sinfonia de Um Homem Comum, do diretor José Joffily, foi convidado para o 35º Festival Internacional de Documentários de Amsterdã, o IDFA, mais importante festival de documentários do mundo. O longa disputa na categoria Frontlight do evento que ocorre entre os dias 9 e 20 de novembro. O enredo acompanha a história do diplomata José Mauricio Bustani, primeiro diretor-geral da Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ), que tentou impedir a invasão ao Iraque pelos Estados Unidos.

O filme conta com depoimentos dos ex-presidentes do Brasil Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva e dos diplomatas Celso Amorim, Richard Boucher e John Holmes. O longa destaca a atuação de Bustani como primeiro diretor-geral da OPAQ, entre 1997 e 2002. A organização internacional independente, afiliada à ONU e sediada na Holanda, tinha como objetivo implementar a Convenção sobre a Proibição do Desenvolvimento, Armazenagem, Produção e Uso de Armas Químicas e sua Destruição. O diplomata defendia a adesão do Iraque à OPAQ a fim de possibilitar as inspeções de armas no país. Já o então presidente George W. Bush afirmava que o país possuía armas de destruição em massa.   

O IDFA é o terceiro festival que o documentário participa este ano, tendo antes sido convidado para a 27ª edição do brasileiro É Tudo Verdade, onde recebeu menção honrosa, e para o HotDocs, no Canadá, principal festival de documentários da América do Norte. 

Sinfonia de Um Homem Comum estreia nos cinemas no dia 3 de novembro. A produção é da Coevos Filmes em coprodução com Globo Filmes, GloboNews e Canal Brasil. A distribuição é realizada pela Bretz Filmes.   

Leia Mais
Crítica: “Catarina, a Menina Chamada Passarinha” transporta vivência adolescente para a Idade Média