Fotos: Reprodução/Martins Fontes/Toda Mafalda/2003.
Foto: Divulgação/Ediciones De La Flor.
Foto: Divulgação/Ediciones De La Flor.

Nos cinquenta anos da personagem Mafalda, a mais famosa criação do cartunista argentino Quino ganha novas edições no Brasil. A editora Martins Fontes lança quatro volumes que reúnem tiras da garotinha divididas por temas.

A Pequena Filosofia da Mafalda terá inicialmente quatro livros: Injustiça, Guerra e Paz, Como Vai O Planeta? e Assim Vai O Mundo. Cada um terá 34 páginas, formato 20,3 x 18cm e custará R$ 24,90. A questionadora garota investiga temas sociais, ecológicos e políticos com a ingenuidade e graça que a fizeram famosa.

Leia Mais
Quino vence o prêmio Príncipe das Astúrias
Artigo: Desconhecemos as HQs de nossos irmãos latinos

Criada em 1964, Mafalda ficou conhecida pelo bordão “Parem o mundo, que eu quero descer”. Traduzida para mais de vinte línguas, ela se tornou uma das mais politizadas e populares tiras em quadrinhos já lançadas. Tudo isso sem perder o humor. Apesar das comemorações de seu cinquentenário terem começado desde janeiro deste ano, a data oficial celebrada é esta segunda, 29.

Em 29 de setembro de 1964 ela fez sua primeira aparição em uma tira em quadrinhos da revista argentina Primeira Plana. Baixinha e de cabelos curtos amarrados com um laço enorme, ela já nasceu com seis anos. Ganhou do escritor e filósofo italiano Umberto Eco o apelido de “heroína enraivecida”.

Personagem ganhou uma estátua em San Telmo, em Buenos Aires. (Divulgação).
Personagem ganhou uma estátua em San Telmo, em Buenos Aires. (Divulgação).

O sentimento do mundo

No seu surgimento, Quino trazia questões bem factuais para as tiras da personagem, como a Guerra Fria, as ditaduras na América Latina, a injustiça social, a preocupação com o meio ambiente e outros assuntos, que com alguma adaptação, ainda seguem presentes nos dias de hoje.

Sucesso desde seus primeiros anos, Mafalda resistiu às intempéries editoriais e sobreviveu por quase uma década. O seu criador desistiu de desenhá-la em 1973, três anos antes do último golpe militar na Argentina. Desde então, ela fez aparições pontuais, como uma publicação especial da ONU sobre os direitos da criança, em 1977.

Novos livros de Mafalda nas livrarias. (Divulgação).
Novos livros de Mafalda nas livrarias. (Divulgação).

No Brasil, todas as tiras de Mafalda foram publicadas no livro Toda Mafalda (Martins Fontes) um “tijolão” de capa dura e tamanho grande que reúne em ordem cronológica a vida da personagem e conta com textos de apoio sobre a obra.

Hoje aos 81 anos, Quino, cujo nome verdadeiro é Joaquín Salvador Lavado, não desenha mais e leva uma vida bastante reclusa, com raríssimas aparições públicas. Filho de imigrantes andaluzes, ele nasceu em 1932, em Mendoza, Argentina. Foi seu tio Joaquín Tejón, um pintor e desenhista, que o iniciou nas artes gráficas. Ele publicou sua primeira tira aos 22 anos. Este ano o autor recebeu o Prêmio Príncipe das Atúrias na categoria Comunicação e Humanidades, um dos mais importantes do mundo. Mafalda ficaria orgulhosa.

Fotos: Reprodução/Martins Fontes/Toda Mafalda/2003.
Fotos: Reprodução/Martins Fontes/Toda Mafalda/2003.

{DC840C37-F9FC-4373-918D-70606CFEED01}_M4_OTP_0

3

Leia Mais
CCXP22: Magali, Xaveco e Do Contra são os próximos lançamentos inéditos do selo Graphic MSP