Adriana Varejão (Foto: Divulgação)
Obra de Adriana Varejão no Mamam (Foto: Divulgação)

Depois de um longo período sem exposições regulares, o Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães (Mamam) reabre as portas na quarta (4) com obras de 25 artistas brasileiros, com destaque às novas aquisições do museu.

Chamada de Recorte Mamam, a exposição vai durar seis meses e funcionará no salão térreo do museu. Estarão por lá: Braz Marinho, Juliana Notari, Jeims Duarte, Márcio Almeida, Bruno Vilela, Renato Valle, Izidório Cavalcanti, Killian Glasner e Rodrigo Braga. Com essa exposição começa também uma nova dinâmica de mostras. “Anteriormente só fazíamos exposições do acervo de curta duração, a partir de agora haverá sempre uma mostra da coleção do MAMAM, que será repensada a cada seis meses”, disse por email a diretora do Mamam, Beth da Matta.

Além da exposição coletiva com os diversos nomes, o Mamam também traz “Só Lâmina”, com três trabalhos de Nuno Ramos, um dos dos nomes mais importantes das artes visuais brasileiras hoje, Só Lâmina, de desenhos, Luz Negra, vídeo-áudio, e Carolina, uma instalação. Tudo com muita experimentação, como é típico do artista. A mostra vai até o dia 20 de outubro.

Dora longo bahia
Obra da artista Dora Longo Bahia

O museu fica na Rua da Aurora, no Centro do Recife e tem entrada gratuita. Recentemente, o Mamam recebeu o simpósio de sexo e arte contemporânea. Veja como foi.

Leia Mais
Projeto “Prazer, Arte Contemporânea” circula por comunidades periféricas do Recife