Mapa relata divisão do Recife. (Foto: Mario Oliveira e Heloisa Lima.)

Se memória é riqueza, então o Museu da Cidade do Recife é um caixa-forte. O espaço, que fica dentro do Forte das Cinco Pontas, na capital pernambucana, vem se firmando com um dos mais importantes centros de estudo e divulgação sobre a história da cidade. Foram realizadas diversas exposições nos últimos anos com a proposta de trazer diferentes olhares a partir do enorme acervo da instituição. Agora, o MCR lança um catálogo com o seu material cartográfico.

Amantes de mapas sabem que o Museu da Cidade do Recife é um dos locais mais incríveis para se visitar. Um conjunto formado por 1.898 artefatos gráficos salvaguardados pelo Museu, datados do final do século 19 ao século 20, ganha agora um catálogo impresso e online.

O lançamento será na quinta (30), às 19h. O Catálogo do Acervo Cartográfico do MCR ficará disponível para download gratuito no site da instituição e será comercializado na loja do museu por R$ 30 reais, cuja venda será revertida para ações de preservação das coleções do MCR.

Idealizado pelo pesquisador, fotógrafo e produtor cultural Josivan Rodrigues, o Catálogo do Acervo Cartográfico do MCR traz não apenas mapas e cartas, mas também o conjunto projetos urbanísticos (a exemplo da Praça de Casa Forte e o Parque 13 de Maio), arquitetônicos (Teatro de Santa Isabel e Biblioteca de Casa Amarela) e de mobiliário, gravuras e cartazes, entre outras tipologias.

A mídia DVD incorporada à publicação impressa trará consigo todas as 1.898 imagens digitalizadas no Inventário do Acervo Cartográfico do MCR, assim como os seus respectivos índices, organizados por número de tombo, descrição e autor.

“Esse projeto é importante pois promove o acesso remoto ao passo que resguarda os originais do manuseio constante. Através do catálogo, será possível filtrar quando é realmente necessário ter em mãos os originais”, explica Rodrigues. Betânia Corrêa de Araújo, diretora do Museu da Cidade do Recife, assinala: o catálogo deverá ser utilizado pela equipe educativa da instituição nos próximos anos. “Agora é hora de comemorar e compartilhar o resultado, e também de arregaçar as mangas para as futuras – e incontáveis – etapas!”, explica.

Montar um projeto tão ambicioso deu um enorme trabalho. Foi necessário um trabalho de inventário e catalogação dos documentos, que foram detalhadamente observados, descritos e digitalizados. Esta fase, por sua vez, foi antecedida pelo trabalho de higienização, planificação e acondicionamento realizado com o apoio da Caixa Econômica Federal. A catalogação e lançamento teve apoio do Funcultura (fundo de apoio à cultura do Estado de Pernambuco).

“Esse acervo documenta a mentalidade de cada época e como a cidade era pensada em determinados períodos. A maioria do nosso acervo é do século 20, e através dele é possível perceber as inúmeras mudanças pelas quais a cidade passou em prol do melhoramento urbano”, diz Sandro Vasconcelos, historiador do Museu da Cidade do Recife, responsável por coordenar a classificação, o inventário e a catalogação de todo o projeto.

O Museu da Cidade do Recife fica no Forte das Cinco Pontas, s/n, São José.

Leia Mais
A HQ Os fantasmas de Pinochet chega ao Brasil em setembro