Heverton em fase abstrata. (Divulgação).
Trabalho de Celene. (Divulgação).
Trabalho de Celene Muniz. (Divulgação).

Mais uma ação da MIMOdifique começa neste final de semana no Recife. Novos quadros de Marília Didier, Heverton Crisóstomo e Celene Muniz estarão em cartaz desta sexta até domingo na galeria de arte Estação 4Cantos, na Cidade Alta.

O MIMOdifique é um evento independente organizado pela classe artística local em resposta ao cancelamento do festival MIMO em Olinda. A exposição vai de sexta (20) até domingo (22).

Mais: Os shows do MIMOdifique

Arquiteta por formação, Marília Didier aposta em pinturas que lidam com as fronteiras entre o abstrato e o figurativo. A artista plástica recifense assina telas de grandes dimensões (a partir de 1 metro quadrado) e usa a técnica de pintura em acrílico. Ao todo, são dez novos quadros, produzidos este ano.

“São pinturas contemporâneas, de traços rápidos. Em alguns deles, consegue-se identificar o figurativo, mas essa percepção é muito solta”, explica Marília, pintora há 18 anos e com experiência de já ter exposto em lugares importantes, como a Fundação Gilberto Freyre e Museu do Estado, além, no Exterior, do Museu Histórico da Bulgária.

Já Celene Muniz vai levar novos quadros figurativos que fazem parte da sua série sobre ícones da música, cinema e das artes em geral. Tratam-se de dez telas em acrílico, de variados tamanhos, entre 40cmx40cm e 50cmx50cm. Pinturas de Janis Joplin, Maria Betânia e Dalva de Oliveira são algumas das novidades do acervo. “Também gosto de pintar o que observo. Existe um quadro que fala muito o que é música para mim, que é o de um músico de rua tocando um sax na Avenida Paulista, em São Paulo. Rabisquei em um guardanapo e depois passei para a tela”, comenta Celene, sobre seu processo criativo.

Heverton em fase abstrata. (Divulgação).
Heverton em fase abstrata. (Divulgação).

E Heverton expõe dez novos quadros novos, que comportam a atual fase abstrata do artista. Nas telas, Dadá, seu apelido de infância, evidencia seu ofício herdado do seu tio-avô, o pintor e professor Amaro Crisóstomo, com maturidade: aborda lugares, natureza morta, peixes e pássaros como temas abstratos e poéticos. Os quadros da exposição coletiva poderão ser vistos na galeria e na loja de artes do Estação 4 Cantos.

A Estação 4Cantos fica na Rua Prudente de Moraes, 440, Sítio Histórico de Olinda.

Leia Mais
Artistas lançam projeto Museu de Bolso com técnica Flipbook