A escritora e jornalista norte-americana Elizabeth Wurtzel morreu na última terça (7) em Nova York, aos 52 anos, segundo informou o NYTimes. Ela ficou famosa pelo livro Prozac Nation (1994), obra que abriu o debate sobre saúde mental dentro do mercado editorial. Ela lutava contra um câncer de mama e chegou a fazer uma mastectomia em 2015.

Prozac Nation é um livro de memórias que descreve as experiências da autora com a depressão. Na obra, a autora conta como se mutilava aos doze anos e como tentou o suicídio com comprimidos. Trata também da sua vida sexual e do seu consumo de drogas. Passou a adolescência buscando uma cura para a doença. O livro foi adaptado aos cinemas em uma produção estrelada por Christina Ricci.

O seu estilo confessional tem sido considerado inovador. Porém, na sua curta carreira, Wurtzel dividiu opiniões dos críticos – muitos reclamavam do excesso de autocomiseração. No entanto, Prozac Nation é tido como um marco cultural sobre um tema cada vez mais presente na sociedade e abriu espaço para a escrita confessional.

Leia Mais
Banda Caramelows critica a pós-verdade no novo clipe “Robotização”