A Periférica – Mostra de Cinema de Camaragibe tem sua terceira edição de 23 a 28 de março, em formato online. Serão exibidos 62 curtas-metragens, de 18 estados brasileiros e de quatro países da América Latina (Peru, Bolívia, Colômbia e Argentina), além de sessões especiais com quatro longas-metragens e três oficinas. A programação reúne filmes de ficção, animação, documentário e experimental, disponíveis gratuitamente através do site.

A Mostra Periférica é realizada pelo Pós – Traumático Coletivo, Tacamacaca Produções, Maat Produções e Cineclube Universo Paralelo , com incentivo da Lei Aldir Blanc, através do edital lançado pela Secretaria de Cultura, Fundarpe, Governo de Pernambuco.

Crítica-Filme: ‘King Kong en Asunción, a transamérica distópica e intercultural de Camilo Cavalcanti

King Kong é um ícone cinematográfico, hollywoodiano, surgido em 1933, com direito a diversas adaptações cinematográficas. A imagem terna do macaco monstruoso segurando com ternura na palma da mão a então estreante Jessica Lange entrou para a história do cinema fantástico. Existe uma relação entre o gorila cinematográfico e o matador de aluguel interpretado pelo ator Andrade Junior, verdadeiro símbolo do cinema candango, morto em 2019 antes do lançamento, o Velho de King Kong en Asunción, produção fantástica do pernambucano […]

Read more

A programação da Periférica é composta por sessões de curtas-metragens que ficam disponíveis para o público assistir de 23 a 28 de março em qualquer horário. A mostra Aquarela reúne curtas brasileiros; a mostra Josenita Duda, curtas realizados por mulheres cis e trans e pessoas LBTQI+; a mostra Origens, curtas feitos por pessoas negras, indígenas e povos ciganos; e a mostra Dona Dora, curtas produzidos em países da América Latina (com exceção do Brasil, que já há uma mostra específica para os filmes brasileiros).

“Recebemos mais de 400 filmes nesta terceira edição da Periférica, foi uma grande surpresa a quantidade e a qualidade dos filmes inscritos. A comissão curadora partiu do conceito Romper Fronteiras, Abrir Territórios. Viver neste país numa crise pandêmica não está sendo fácil, mas o que nos resta é resistir e seguir rompendo fronteiras e abrindo territórios”, destaca Ângelo Fábio, um dos curadores da mostra, que pela primeira vez terá filmes latino-americanos, além de brasileiros.

Um dos destaques da mostra Aquarela é o filme Seremos Ouvidas, de Larissa Nepomuceno (PR), que traz Gabriela, Celma e Klicia, três mulheres surdas com realidades diferentes, que compartilham suas lutas e trajetória no movimento feminista surdo.

Entre os filmes de ficção, está 4 bilhões de infinitos, de Marco Antonio Pereira MG), que mostra uma família que vive com a energia de casa cortada, e enquanto a mãe trabalha, seus filhos conversam sobre ter esperança.

Na mostra Origens, um dos curtas selecionados é o documentário Princesa do meu lugar, de Pablo Monteiro (MA). O filme apresenta festas populares do Maranhão e do Pará, um encontro de brincadeiras que navegam em águas doces e salgadas e desembocam em solo paraense.

Longas

A Periférica também traz sessões de longas-metragens. As exibições iniciam às 19h, e cada filme fica disponível por 24h no site oficial da mostra. No dia 24 de março, o longa-metragem em destaque é o filme brasileiro King Kong en Asunción, com direção do pernambucano Camilo Cavalcante. A obra propõe uma integração cultural entre Bolívia, Paraguay e Brasil e pretende abolir as fronteiras, fomentar um olhar crítico evidenciando o quanto temos em comum em nossa realidade economicamente perversa. O longa foi premiado em diversos festivais nacionais e internacionais.

No dia 25 e 26 de março, são disponibilizados dois filmes mexicanos: Negra, com direção de Medin Tewold, e Tote Abuelo, com direção de María Arias Martínez. No dia 27 de março, o longa exibido é Del Palenque de San Basilio, com direção de Esperanza Biohó e Erwin Goggel (Colômbia).

A Periférica a cada edição presta uma homenagem a uma personalidade de Camaragibe. Nesta edição, o evento terá como homenageada Dona Dora, liderança da cultura popular que, desde 1965, mantém o Boi Rubro Negro, tradicional agremiação carnavalesca de Camaragibe, com sede no bairro Alto Santo Antônio.

A comissão curadora da Mostra foi formada por Izabel de Fátima, Rayssa Layssa e Ângelo Fábio.

Oficinas

A Mostra Periférica realizará três oficinas: Lab Produção, no dia 27 de março, facilitada pela produtora Anna Andrade, Ponto de Virada – Escritas de Si,nos dias 23 e 24 de março, com roteirista Márcio Andrade; Teatro Imagem: Do Real ao Decolonial, nos dias 25 e 26 de março, com o ator Wagner Montenegro. As inscrições para as oficinas já foram encerradas.

A Periférica – Mostra de Cinema de Camaragibe nasceu em 2017 como cineclube com o objetivo de propagar filmes para moradores e visitantes de Camaragibe (PE), cidade da Região Metropolitana do Recife. O intuito da mostra Periférica é tornar a sétima arte mais acessível, contribuindo para a fruição artística, a formação do senso crítico e a construção de ações de transformação política e de cidadania.

A primeira e segunda edição tiveram exibições no Cine Teatro Bianor e em escolas públicas de Camaragibe. Em 2021, o festival é realizado de forma online, devido à pandemia do novo coronavírus.

Leia Mais
Filme foi inteiramente realizado durante este isolamento social (Foto: Divulgação)
Filmes pernambucanos com temática LGBT+ estão gratuitamente no Scruff