A imagem "Possessão por Ogun", presente na mostra. (Divulgação).
A imagem "Possessão por Ogun", presente na mostra. (Divulgação).
A imagem “Possessão por Ogun”, presente na mostra. (Divulgação).

O Laboratório de Antropologia Visual (LAV) da Universidade Federal de Pernambuco inicia nesta segunda (29) uma exposição do olhar do fotógrafo Pierre Verger sobre os cultos Afro-Brasileiros no Recife. A expo serve também como homenagem ao centenário do antropólogo recifense René Ribeiro.

A exposição conta com fotografias pioneiras como o transe nos rituais afro-brasileiros. A exposição homenageia o centenário do médico, professor e antropólogo da cidade do Recife René Ribeiro, que colaborou com Gilberto Freyre com a implantação do Instituto Joaquim Nabuco, atualmente Fundação Joaquim Nabuco, sendo o primeiro diretor do Departamento de Antropologia.

Pierre Verger (1902-1996), chegou ao Brasil em 1946 e logo manteve contato com Gilberto Freyre (1900-1987) que o propiciou os primeiros contatos com os cultos afro-brasileiro no Recife. Verger já havia tomado conhecimento por meio de seu amigo antropólogo francês Roger Bastide (1898-1974). No Recife, Verger frequentou várias terreiros, acompanhando o antropólogo pernambucano René Ribeiro (1914-1990) em suas incursões etnográficas.

Esse conjunto de fotos da exposição foi publicada na primeira edição do livro de René, intitulado Cultos Afro-brasileiros do Recife, de 1952. As fotos foram pioneiras na sua temática por se tratar de um tema que na época era pouco explorado e ainda hoje pouco conhecido do grande público: o transe no campo ritual afro-brasileiro.

A exposição fica em cartaz até o dia 14 de dezembro de 2014, com o horário de visitação de segunda a sexta-feira, das 08h às 21h. As fotos serão expostas na Galeria da Biblioteca Central da UFPE, na Cidade Universitária, na Várzea.

Leia Mais
Pernambucano Gilvan Barreto lança livro de fotografias representando as injustiças escondidas nas paisagens do Brasil