Jomard foi um dos nomes mais atuantes do Super8 no Estado. (Divulgação).
Jomard foi um dos nomes mais atuantes do Super8 no Estado. (Divulgação).
Jomard foi um dos nomes mais atuantes do Super8 no Estado. (Divulgação).

O ciclo de filmes em Super-8 que marcou a década de 1970 e a primeira metade dos anos 80 será celebrado no aniversário dos 71 anos do Arquivo Público de Pernambuco. A mostra com essa produção acontecerá nessa terça (6) e quarta (7), às 19h, com entrada gratuita.

Serão realizados dois debates, exibidos onze filmes e prestada uma homenagem ao jornalista Geneton Moraes Neto, falecido este ano e um dos mais ativos participantes do ciclo do Super 8. Participarão da programação cineastas, críticos e professores universitários, entre os quais Alexandre Figueirôa, editor-executivo da Revista O Grito! e Paulo Cunha, ele mesmo um dos lideres do Movimento Super-8.

O evento integra a programação comemorativa do 71º do Arquivo Público, cuja fundação aconteceu no dia 4 de dezembro de 1945. Além das atividades relacionadas com o cinema, haverá a inauguração da restauração do edíficio-sede do Arquivo, um casarão construído na primeira metade do século 19 tendo sido utilizado como cadeia, Parlamento e Fórum ao longo de quase 300 anos de história.

A ideia de rememorar o ciclo recifense de cinema na bitola 8 milímetros faz parte do programa de atividades do Arquivo Público, que promove os seminários Memória Ativa Debate, com os quais conecta fatos do passado recente a acontecimentos da atualidade. No caso do Movimento Super-8, que produziu quase 40 filmes, há evidente conexão com o polo cinematográfico que se estruturou no estado e tem produções premiadas e reconhecidas no mundo inteiro.

“A nosso ver, uma coisa tem muito a ver com a outra. Não é por acaso que a emergência do polo do Recife é celebrada como uma “retomada”. Na verdade, é um recomeço tanto em relação ao cinema nacional como um todo quanto, mais especificamente, em relação ao Movimento Super-8 e ao ciclo dos anos 1920/30. Além disso, há diretores – como Paulo Caldas – que participaram ativamente de um e do outro momento”, diz o diretor do Arquivo Público, Evaldo Costa. Caldas fez um dos últimos filmes em Super-8 e um das primeiras e mais conhecidas obras da nova safra, o clássico Baile Perfumado, em parceria com Lírio Ferreira.

O cineasta Fernando Spencer ficou conhecido pelo movimento Super-8. (Divulgação).
O cineasta Fernando Spencer ficou conhecido pelo movimento Super-8. (Divulgação).

Além da exibição dos filmes em Super-8 e debates, fará parte também da programação a abertura de exposição com jornais da década de 1970 e início dos anos 80. Entre as preciosidades, as primeiras matérias publicadas nos jornais locais do jovem jornalista Geneton Moraes Neto.

A mostra do Super 8 tem como curadores o jornalista e cineasta Felix Filho e o produtor e historiador Lula Cardoso Aires Filho.

Veja a programação

1º DIA – terça 06/12 – 19 horas
Abertura da Exposição
Palavras de Evaldo Costa
Entrega da Placa em homenagem a Geneton

Exibição dos filmes:
1) Esses Onze Aí
Ano de realização – 1978
Duração – 10 minutos

2) A Flor do Lácio é Vadia
Ano de realização – 1978
Duração – 6 minutos

3) Fabulário Tropical
Ano de realização -1979
Duração – 5 minutos

4) Funeral para Década das Brancas Nuvens
Ano de realização – 1979
Duração – 10 minutos

Palestra: Super-8 no Recife: a política dos afetos
Palestrante: Paulo Cunha.
Debatedores: Félix Filho e Jomard Muniz de Britto
2º dia – Quarta 07/12 – 19 horas .

Abertura
Exibição dos filmes:
1) Cinema Glória, Fernando Spencer e Félix Filho, 1979, 16 min.
2) O Décimo Terceiro Trabalho, Osman Godoy e Athos, 1972, 6 mim
3) Brigada Portinari, Celso Marconi, 1978, 11 min.
4) Composições no Fio – Partituras Mutantes, Paulo Bruscky,1979, 3m
5) Palhaço Degolado, Jomard Muniz de Britto, 1977, 10 min.
6) Olho Neles, Jomard Muniz de Britto, 1982, 7 min.
7) Valente é o Galo, Fernando Spencer, 1974, 14 min.

Palestra: “O ciclo do super oito, origem do polo de cinema de Pernambuco?”
Palestra: Alexandre Figueirôa
Debatedores: Paulo Caldas e Lula Cardoso Ayres Filho

Leia Mais
Eu Curto, Tu Curtes, Ele, o Curta: a importância da crítica de cinema