Videoclipe documental da banda , “LAMA”, retrata os impactos dos atingidos no rompimento da barragem de Mariana, em Minas Gerais. Com direção de Virginia de Ferrante, o vídeo mostra a realidade do distrito mineiro que foi impactado pelo crime ambiental há cinco anos.

Há cinco anos, o rompimento da barragem de Fundão deixou 19 mortos e inundou várias casas no distrito de Bento Rodrigues e arredores, em Minas Gerais. O rompimento em Mariana causou o maior impacto ambiental da história brasileira e foi o maior do mundo envolvendo barragens de rejeitos. Centenas de pessoas que perderam seus lares, seus entes queridos, seus meios de sustento e sua cidade.

Ouça mais novidades musicais na nossa página Novos Sons!
Leia mais críticas de novos discos aqui na Revista O Grito!

“Existem ali famílias que perderam absolutamente tudo e ainda não tiveram nenhum tipo de amparo pra que pudessem reassentar seus lares e recomeçar suas vidas, principalmente trabalhadores informais que seguem impotentes no aguardo das indenizações por parte de uma das maiores e mais ricas mineradoras do mundo”, pontua Amanda Pacífico, vocalista da banda.

O sexteto Mulamba é conhecido por não permanecer em silêncio. Cantando dores, a banda retoma com mais um lançamento: LAMA, dirigido por Virginia de Ferrante. O videoclipe mistura a linguagem documental com a videoarte e volta os olhos para o crime ambiental em Mariana em caráter de denúncia. As imagens, feitas no distrito de Minas Gerais, também são um alerta para outros crimes ambientais infelizmente tão comuns. Três anos após o crime em Mariana, Brumadinho também foi atingido pelo rompimento de barragem, deixando 219 pessoas mortas. Hoje, mais de 24% de extensão do Pantanal foi devastada pelo fogo e animais como a Anta e Tamanduá Bandeira correm perigo de extinção. “A imagem final do videoclipe é um convite à reflexão de que nós também somos orgânicos, também somos parte do planeta”, pontua Virginia.

Foto: Luciana Petrelli.

Leia Mais
Kylie Minogue expande estética setentista no clipe de “Magic”