André Toral tem a história do Brasil – e todas as suas complexidades – como motor criativo para suas obras. Antropólogo de formação, o artista trabalhou por mais de 30 anos com grupos indígenas brasileiros e desenvolveu pesquisas como indigenista. Parte dessa sua experiência estará presente em A Alma Que Caiu do Corpo, um dos principais lançamentos dos quadrinhos nacionais de 2020, que a Veneta lança no início de maio.

Em nove histórias, criadas entre 1991 e 2010, o álbum aborda temas como antropofagia, xamanismo e feitiçaria em narrativas ficcionais que retratam a realidade das aldeias e a luta pela terra. Seu trabalho assume aqui um tom de relato etnográfico ao colocar os povos originários brasileiros como protagonistas de suas histórias.

Toral vem investigando a formação do povo brasileiro em suas obras, como é o caso de Holandeses (Veneta), de 2017 e Adeus, Chamigo Brasileiro (Companhia das Letras, 1999), entre outros.

A Alma Que Caiu do Corpo tem 104 páginas e custa R$ 59,90.

Leia mais sobre quadrinhos em nosso site na página O Grito! Quadrinhos
Os melhores quadrinhos de 2019

Leia Mais
Sunny, o mangá mais pessoal de Taiyo Matsumoto, ganha edição no Brasil