Fotos: Avila Cordeiro/Divulgação.

A Santos de Uma Esquina surgiu em 2014, como uma banda de garagem, partindo direto para canções autorais. Com um som que eles mesmos intitulam de música brasileira, por ser uma grande mistura e inspiração de artistas do nosso país, o grupo de Guaiúba, região metropolitana de Fortaleza, vem chamando atenção no Ceará. 

Leia Mais: Novos Sons de 2019
Juliana Sinimbu: novidade do indie pop do Pará
A revelação do pop de PE, Mascates

A Santos vem na grande efervescência do indie rock cearense. Nomes como Selvagens à Procura de Lei, Garotos da Capital, Jangada Pirata e Projeto Rivera encabeçam o que eu considero a grande concentração do gênero no nordeste. Formada por Maia Neto (voz/guitarra/baixo), Vittor Vieira (voz/guitarra/baixo), Junior Cavalcante (guitarra solo) e Leanderson Carvalho (baterista), a banda, após cinco anos de seu início, enfim, lançou o primeiro EP, chamado Lentamente Você Dança, que também é o nome da primeira música feita pelos quatro amigos, lá em meados do Brasil 7×1.

O trabalho é um compacto com seis faixas: “Vocês Dois”, “A Moça”, “Meu Bem”, “Saudade”, “Seje Menas” e “Fumaça”. O disco fala sobre as nuances do amor, a descoberta de si mesmo e a leveza de crescer. É como assumir uma ilicitude de sentimentos internos, que nos assombram e puxam para a realidade do absurdo do nosso universo interior em relação aos universos das outras pessoas. Um astronauta de si mesmo, à deriva no cosmos. Esperando as coordenadas.

Qualquer uma dessas faixas poderia ser canções do Los Hermanos e, talvez, seja essa a maior influência da banda. Desde o nome das músicas, sonoridade, passando até pela condução da coisa. Neto e Vittor dividem os vocais e as composições, assim como lá trás Marcelo e Rodrigo fizeram.

O destaque do disco vai para duas faixas: “A Moça” e “Meu Bem”, cantadas por Neto e Victtor, respectivamente. Eu as bem comparo como se fossem suas próprias versões de “Último Romance” e “O Vento”, sendo essa primeira, agraciada com um belíssimo e melancólico arranjo de metais em tom pastel, nas pessoas de Leandro Benson e Mateus Soares. “Dançando Lentamente” é um disco doce, que evoca aquela manhã ensolarada e azul de um domingo, onde você abre a janela para o vento bom entrar. Uma aura leve e boa que paira sobre nós ao simples dobrar de uma esquina.

https://open.spotify.com/album/63iyApsledMl0ZpxZwRd1e

Leia Mais
Romero Ferro encerra fase atual com show no Recife e já prepara novo álbum