Foto: Paulo Floro
Foto: Paulo Floro

Se tem uma banda da cena independente do Recife que pode se orgulhar do prestígio alcançado, essa banda é o Nuda. Aconteceu nessa quarta (8), no Recife o lançamento do novo disco dos pernambucanos, amarénenhuma, lançado para download gratuito mês passado. Com a plateia quase lotada, os quatro integrantes estavam claramente emocionados e os fãs, correspondendo à altura na empolgação.

E escolha de um teatro foi acertada e combinou perfeitamente para a sonoridade do grupo, ainda que a voz de Raphiro não ficasse tão boa quanto ouvimos no disco. O que foi visto na apresentação foi uma equilíbrio perfeito de peso e experimentalismo, melancolia e paisagens sonoras muito bem costuradas. Foi uma proposta ousada, mas cumprida com eficácia tanto pela competência da banda, mas sobretudo pelo público que estava ali entregue.

No repertório, a excelente “Ode Aos Ratos”, versão da música de Edu Lobo e Chico Buarque, “Prece em Ponta de Faca” e “Samba”, todas do disco novo. O músico Bactéria, ex-Mundo Livre S/A subiu ao palco para tocar “Samba de Paleta” e no final, outro convidado especial subiu para participar da grande apoteose, Scalia, na faixa título, “amarénenhuma”.

A cenografia do palco foi obra do ACRE, loja e grife recifense que conseguiu traduzir a identidade visual do novo disco, com os pingos coloridos.

Para quem não conhece a banda e foi ao teatro para descobrir algo novo ou mesmo afim de ver um bom show de rock saiu de lá com a certeza de que o grande destaque da noite no lançamento do novo disco do Nuda foram seus fãs.

Nuda “Toque Pra Calhetas”

Leia Mais
Festival de Inverno de Garanhuns retoma edição presencial após dois anos e abre edital para artistas