A obra de Carolina Maria de Jesus será finalmente reeditada no Brasil. A editora Companhia das Letras anunciou nesta sexta (17) que irá publicar toda a bibliografia da autora, o que inclui inclusive a restauração de cadernos originais que estavam espalhados por diversos acervos pelo Brasil.

Nascida em Sacramento (MG) em 1914, a autora viveu a maior parte de sua vida em São Paulo (na favela do Canindé, em Santana e Parelheiros). Em cadernos que encontrava no lixo, reaproveitava ou adquiria com dificuldade, ela deixou uma obra literária extensa. Seu trabalho mais famoso é Quarto de Despejo: Diário de uma Favelada, lançado em 1960 com organização de Audálio Dantas.

Leia mais
Para ler mais escritoras negras

O projeto de reedição de sua obra na Companhia das Letras vai incluir escritos memorialísticos, romances, poesia, música, teatro e narrativas curtas, entre outros.

A edição da obra será supervisionada por um conselho editorial composto por Vera Eunice de Jesus, filha de Carolina, pela escritora Conceição Evaristo e pelas pesquisadoras Amanda Crispim, Fernanda Felisberto, Fernanda Miranda e Raffaella Fernandez.

O primeiro lançamento será Casa de Alvenaria (1961), parte integrante da série Cadernos de Carolina, que publicará os diários da escritora. Neste volume, o leitor terá um registro da experiência de Carolina após se mudar para o bairro de Santana. Todos os Cadernos de Carolina serão coordenados por Vera Eunice de Jesus e Conceição Evaristo e organizados pelas pesquisadoras do conselho editorial, além de contar com aparatos críticos inéditos.

Um dos nomes mais importantes da literatura brasileira, Carolina Maria de Jesus sofreu rejeição e estigmatização dos círculos literários. Com essa reedição, sua voz autêntica finalmente ganhará o espaço merecido.

“Um dos maiores desejos de Carolina Maria de Jesus era o de ser reconhecida como uma escritora capaz de escrever, além dos diários, romances, poesias, provérbios, contos, peças teatrais e letras de músicas. Ao falecer me deixou alguns pedidos numa carta e, entre eles, que eu propagasse a sua memória”, diz Vera Eunice de Jesus, filha de Carolina Maria de Jesus.

Para Conceição Evaristo, a reedição tem efeito de reparação histórica. “A publicação da obra de Carolina Maria de Jesus, por justiça, coloca a escritora em seu devido lugar, como uma das mais emblemáticas escritoras brasileiras do século XX e oferece ao público leitor a oportunidade de transitar pela diversidade que compõe a literatura brasileira.”

Os livros Quarto de Despejo e Diário de Bitita não fazem parte do projeto. O primeiro saiu pela editora Ática e segue em catálogo. Já o segundo foi lançado pela Sesi-SP, mas está esgotado.

Quadrinhos

Carolina Maria de Jesus ganhou uma elogiada biografia em quadrinhos em 2016 por Sirlene Barbosa e João Pinheiro, que saiu pela Veneta. A HQ narra a infância pobre de Carolina em Minas Gerais, sua vida sofrida em São Paulo, a fama, as ilusões, as decepções e o esquecimento.

Leia Mais
Tagore lança clipe de “Drama” com participação do Boogarins