O Chamado de Cthulhu, a obra máxima do norte-americano H.P. Lovecraft (1890-1937) ganha em uma versão inédita no Brasil pela editora Skript, com ilustrações de Salvador Sanz. O conto é um dos mais conhecidos do autor e uma porta de entrada para o universo lovecraftiano.

Considerado o pai do terror cósmico, a influência de Lovecraft está presente em toda a cultura pop, ainda que o autor não tenha experimentado o reconhecimento em vida. Sua obra mistura monstros, entidades bizarras, seres de outros universos a uma trama cheia de reviravoltas e horror psicológico.

O terror cósmico, ou cosmicismo, foi um movimento estético desenvolvido por Lovecraft que tinha como base a ideia de que a humanidade não era nada comparada à imensidão do cosmos. Em sua crítica ao antropocentrismo, o autor propunha que não existe lugar para Deus no universo.

Leia mais sobre livros na Revista O Grito!: ensaios, lançamentos e críticas

O Chamado de Cthulhu é, de longe, sua obra mais conhecida e traz um dos monstros mais conhecidos da literatura. Trata-se de uma entidade cósmica adorada por uma seita milenar que busca trazê-la de volta ao nosso plano de existência, o que desencadearia o apocalipse.

A versão brasileira da obra ganhará ilustrações exclusivas do quadrinista Salvador Sanz (Angela Della Morte). O prefácio foi escrito por Nathalia Sorgon Scotuzzi, editora da Diário Macabro, pesquisadora, especialista em Lovecraft e doutoranda na UNESP, onde estuda sobre o horror cósmico. O posfácio é de Thiago de Barros Carneiro, profissional de Comunicação & Marketing e criador do AfroNerd. A tradução é de Mariana Fernandes Morgado Costa.

A edição está em pré-venda e deve sair ainda este ano. O livro da editora Skript tem 94 páginas e custa R$ 79,90.

Leia Mais
HQs da Quarentena: João Pinheiro e a pandemia na quebrada