Podcast Lima Barreto: O negro é a cor mais cortante saúda vida e obra do escritor carioca

Composta por cinco episódio produzidos pela rádio Batuta, série estreia no dia 1 de novembro

Lima Barreto é um dos maiores nomes da literatura brasileira. (Divulgação).

O dia 1º de novembro marca o centenário de falecimento do escritor Afonso Henriques de Lima Barreto, ou apenas Lima Barreto, como é referenciado. Para além de celebrar a obra do autor, assim como discutir sobre sua relevância na literatura brasileira, a Batuta, rádio de internet do Instituto Moreira Salles, lança na próxima terça-feira (01/11) o podcast Lima Barreto: O negro é a cor mais cortante.

A série, composta por cinco episódios, estará disponível, para acesso gratuito, nas principais plataformas digitais, como Spotify e Deezer, e no site da Batuta. A concepção, o texto e a apresentação do podcast são de dois profundos conhecedores da trajetória do escritor, Beatriz Resende, professora da Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro, estudiosa de Lima há mais de 40 anos; e Gabriel Chagas, formado na UFRJ e que atualmente leciona Literatura e Cultura Luso-Afro-Brasileira na Universidade de Miami. 

No primeiro episódio, “A morte e a vida de Lima Barreto”, narram-se os momentos finais do escritor e as referências feitas a ele na imprensa da época. Também é ressaltado como, nos últimos anos, sua obra vem sendo retomada e celebrada. O segundo episódio tem como tema o racismo, já que desde a juventude, Lima Barreto foi alvo de forte preconceito, o que lhe inspirou em romances como Recordações do escrivão Isaías Caminha e Clara dos Anjos. O capítulo conta com o antropólogo Júlio Tavares, professor da Universidade Federal Fluminense (UFF) e nome importante na luta antirracista.

O terceiro episódio, “O Brasil é uma vasta comilança”, traz a política como tema, já que o escritor foi um crítico permanente da república. No quarto capítulo, chamado “O hospício”, são discutidas as duas internações de Lima Barreto no Hospício Nacional de Alienados. Seu Diário do hospício é o que rege a abordagem, da qual participa o psiquiatra Paulo Amarante, professor e pesquisador da Fundação Oswaldo Cruz e nome de frente na luta pelo fim dos manicômios.

O quinto e último episódio, “Rio de Janeiro”, traz como temática central a cidade pela qual Lima Barreto era apaixonado. A música é bastante presente no capítulo, que conta com depoimento da violonista Marcia Taborda, professora da UFRJ e estudiosa da história da música do Rio de Janeiro. Outro convidado é o historiador e escritor Luiz Antonio Simas, grande tradutor da vida na cidade.

“A obra de Lima Barreto sempre ocupou um lugar peculiar e decisivo na literatura brasileira. Foi o primeiro romancista a trazer a periferia do Rio de Janeiro para a literatura. Apesar de estudos fundamentais dedicados à sua obra, só no século XXI foi definitivamente reconhecido. Mais do que isso, despertou um interesse inédito de jovens leitores negros”, disse Beatriz Resende. 

Capa de divulgação do podcast.

Serviço

Podcast Lima Barreto: O negro é a cor mais cortante

Lançamento: 1º de novembro

O programa estará disponível, para acesso gratuito, na Rádio Batuta, no Spotify, na Apple Podcasts e em outras plataformas de podcasts.

Episódios do podcast

1 — A morte e a vida de Lima Barreto

2 — Racismo

3 — O Brasil é uma vasta comilança

4 — O hospício

5 — Rio de Janeiro

Leia Mais
Turnê Paulinho da Viola Em Família terá show no Recife