O projeto “Inconsistência, Acaso e Erro” ocupa a nesta quinta (5) com experimentações em diversas linguagens artísticas. O coletivo, composto pelos multiartistas Hassan Santos, João Lin, Vieira e Diogo Andrade, este ano, realiza sua terceira mostra, combinando música, artes visuais e performance, tendo como norte o improviso e a intervenção do público.

Em um dos salões da MauMau, guitarras, contrabaixo, flauta transversal e voz – nesta edição a artista Irma Brown é convidada para declamar alguns textos – se somam a sintetizadores no jogo do improviso. Como sugere o título, o acaso e o erro são constituintes da experiência, que investiga formas diversas e técnicas não hegemônicas de fazer música.]

“O caráter interativo da performance é a base da experiência”, explica João Lin, um do idealizadores da ação. “Provocamos e incluímos o público na construção da música em tempo real”, completa.

Desta vez, o projeto também conta com projeções do VJ Gabriel Furtado, animadas a partir de desenhos de Greg Vieira, Hassan Santos e João Lin. Com sensibilidade ao som, as imagens são movidas ao acaso e se modificam e distorcem ao sabor do que é tocado. A programação começa às 20h e a entrada é gratuita.

A Galeria MauMau fica na Rua Nicarágua, 173, no Espinheiro, no Recife.

Sem mais artigos