Quadrinhos em 2022: Novas obras de Marcelo D’Salete, Pedro Cobiaco, Ed Piskor e Raina Telgemeier

As principais obras que as editoras brasileiras planejam lançar no mercado neste início de ano

O ano começa bastante aquecido no mercado de quadrinhos brasileiro, ainda seguindo o bom ritmo de 2021, cheio de títulos de diferentes estilo e editoras de todos os tamanhos.

A Revista O Grito! conversou com várias editoras e apurou o que vem de novidade nesses primeiros meses do ano. Assim como no ano passado, o mercado aquecido segue possibilitando a chegada ao país de artistas ainda inéditos por aqui, propostas mais experimentais e medalhões até então inéditos ou fora de catálogo. 2022 também promete ser um ano de novos projetos editoriais interessantes, com a exploração de novos formatos.

Entre os destaques deste ano teremos o aguardado novo quadrinho de Marcelo D’Salete, o novo gibi de Pedro Cobiaco, Haya e o Tempo, a versão impressa de Os Santos, de Leandro Assis e Triscila Oliveira, além de novos títulos de nomes como Junji Ito, Miguelanxo Prado, Ed Piskor, Raina Telgemeier, Jaime Hernandez, entre outros.

Veja os principais destaques:

Corso, de Danilo Beyruth. (Divulgação).

Comix Zone

Depois de um ano incrível em 2022, a Comix Zone segue com uma agenda agitada de lançamentos nesses primeiros meses. Corso, nova aventura de ficção científica de Danilo Beyruth, é o primeiro livro a chegar este ano. A editora segue com sua proposta editorial de destacar a produção latina. Já estão previstos A Herança do Coronel, de Carlos Trillo e Lucas Varela (fevereiro) e Era Outra Vez: O Lado Sombrio dos Contos de Fadas, de Carlos Trillo e Alberto Breccia.A Mão Verde e Outras Histórias, de Nicole Claveloux e Édith Zha (março) é uma HQ que reúne o elogiado trabalho da autora publicados originalmente nos anos 1970 na revista francesa Métal Hurlant.

Cosplayers, de Dash Shaw (Reprodução).

Conrad

Desde que retomou a publicação regular dos títulos em quadrinhos em 2020, a Conrad, uma das editoras mais tradicionais do mercado, vem apostando em publicar tanto HQs digitais quanto impressas. Cassius Medauar, gerente-editorial da editora, acredita que o segmento digital de quadrinhos, ainda engatinha no Brasil, mas o projeto tem sido visto como um sucesso na Conrad por conta do seu crescimento pequeno, mas contínuo. “Não são apenas as vendas que contam, mas temos gostado muito da exposição que os digitais estão tendo, tanto pra divulgar a Conrad quando os autores das obras. Acredito que ter obras digitais ajuda a vender as edições físicas, seja quando lançadas simultaneamente, seja lançadas depois”, disse.

Para os primeiros meses, a Conrad planeja Mouse Guard – Os Pequenos Guardiões -Outono 1152 (janeiro), o segundo volume da edição definitiva da HQ brasileira Mayara & Annabelle e Cosplayers — Fantasiando a Vida, de Dash Shaw (de Umbigo sem fundo, quadrinho publicado no Brasil pela Quadrinhos na Cia). Estes dois trabalhos saem em março. Além destes, a editora ainda planeja a publicação de Sonhonauta (impresso) e Manuel Montano, de Miguelanxo Prado.

Devir

As duas obras do universo de 300 de Esparta, de Frank Miller, saem em fevereiro, depois de terem sido anunciadas ainda no ano passado. 300 e Xerxes saem ambas no formato widescreen (30×22), em capa dura. Várias séries ganham novas edições, como Black Science, de Rick Remender (vol. 4) e East of West, de Jonathan Hickman (vol. 4), todas já em pré-venda.

Hyperion

A nova editora de quadrinhos, fundada por Levi Trindade (ex-Panini) anunciou novas séries para este ano. Aproveitando a série animada de He-Man, no Netflix, a casa lança Masters of the Universe – Revelation, que saiu lá fora pela Dark Horse. Os roteiros são de Kevin Smith, Rob David e Tim Sheridan e os desenhos de Mindy Lee. Usagi Yojimbo seguirá sendo publicado por aqui. Além da fase que saiu pela Fantagraphics, a Hyperion traz também o material que saiu originalmente pela Dark Horse.

Tem ainda quadrinhos da editora americana AWA Studios: Chariot – A Supermáquina, de Bryan Hill e da brasileira Priscilla Petraites; Telepatas, de J. Michael Straczynski e Steve Epting e Sem saída, de Rob Williams e do brasileiro Will Conrad. A Hyperion tem a particularidade de trabalhar com uma distribuição voltada para as comic-shops brasileiras. No Instagram tem os endereços de onde encontrar as HQs.

Mais um livro de Raina Telgemeier chega ao Brasil. (Divulgação)

Intrínseca

A Intrínseca começa o ano com a chegada da nova série em quadrinhos de Avatar: A Lenda de Aang, com o volume A Promessa. O roteiro é de Gene Luen Yang, quadrinista vencedor do Eisner.

A editora também publica mais um quadrinho de Raina Telgemeier, Ghosts.

Mino

Capa da edição americana de Fade Out. (Reprodução).

A Mino tem um pacote de lançamentos bem interessante para este início de ano. A editora seguirá publicando trabalhos autorais de Ed Brubaker, iniciado no ano passado (Pulp, uma das mais celebradas, entrou em nossa lista de Melhores Quadrinhos de 2021). Este mês sai Matar Ou Morrer 3, seguido de Fade Out, ambos em parceria com o desenhista Sean Phillips. Talvez a mais famosa obra de Brubaker, Criminal, ganha nova edição por aqui a partir de abril, com dois volumes previstos para este primeiro semestre. A série policial ganhou diversos prêmios Eisner quando saiu nos EUA.

A Mino lançou no ano passado uma modalidade de assinaturas de com todas as obras de Brubaker que sairão pela editora. O primeiro volume já foi enviado aos leitores este mês. A venda de coleções completas é pouco comum quando se trata de trabalhos mais autorais, então é interessante ver uma editora brasileira explorando esse formato.

Em março, a editora lança mais uma obra do finlandês Jason, cujo título provisório é Daqui Não Se Chega Lá. E em maio sai o aguardado novo quadrinho de Pedro Cobiaco, Haya e o Tempo. A Mino ainda planeja mais dois lançamentos de artistas nacionais para este primeiro semestre.

Pipoca e Nanquim

Mal começou o ano e a Pipoca e Nanquim aumentou a expectativa para os novos títulos que chegam ao longo de 2022. São mais de 30 títulos! Entre os mangás estão previstos novos trabalhos de Osamu Tezuka (MW, em volume único), três novas HQs de Junji Ito (Smashed, Sensor e Shiver) e Jiro Taniguchi (Um Bairro Distante). Também sairá Kairiki No Hana, de Hiroshi Hirata, em 2 Volumes.

Capa da edição italiana de Celestia. (Divulgação).

Nos títulos internacionais teremos novos volumes de Tartarugas Ninja (volumes 5 e 6) e Copra (3 e 4). A editora lança ainda mais uma obra de Keum Suk Grendry-Kim (autora de Grama) e Chabouté (Purgatório). Tarzan, de Roy Thomas e John Buscema, sairá em volume único e marca o centésimo lançamento da editora. Outras novidades incluem Celestia, de Manuele Fior, Alack Sinner, de José Muñoz e Carlos Sampayo (2 Volumes), Elric, de P. Craig Russell (Volume Único) e Coleção Conan da Glenat (Vários autores. 2 Volumes em 2022).

Entre os lançamentos nacionais saem Arena (Original PN), de Alexandre Callari e Alan Patrick, The Solicitor, de Gianfranco Manfredi e Pedro Mauro. Os vencedores do Prêmio Geek 2021 também serão publicados este ano: Dente de Leite, de Patrick Martins e Igor Frederico (Volume Único) e A Polícia Secreta Para Crimes Mágicos, de Emanoel Ferreira (Livro).

Quadriculando

A editora pernambucana segue apostando em obras latinas e brasileiras. Para este ano estão previstas, até o momento, Prócer Zombie, de Silva Bros, Regresso Às Montanhas da Loucura, de Rodolfo Santullo e Alejandro Rodriguez, London After Midnight, de Enrique Alcatena e Gonzalo Oyanedel, Nuggu e os Quatro, de Alcatena e Mazzitelli e La Niña Comunista y el Ninõ Guerrillero. A Quadriculando ainda prepara uma antologia de Nando Mota, em Desenhos do Nando.

Red Room, de Ed Piskor. (Reprodução).

Skript

O cronograma de lançamentos da Skript também segue agitado. Em fevereiro sai Bonelli apresenta: APOCALIPSE, obra de Alfredo Castelli (criador de Martin Mistery) e Corrado Roi (um dos maiores capistas e quadrinista da Bonelli), adaptando o Livro das Revelações de São João. Amor de Gringo fala de turismo sexual e foi lançada pela Universidade de Toronto, no Canadá. É escrita por Marie-Eve Carrier-Moisa, adaptada por William Flynn e ilustrada pela brasileira Débora Santos.

Direto das páginas de Love & Rockets, Jaime Hernandez traz sua hilária e ácida visão do universo dos super-heróis em TI-Girl (março). Em abril sai Peepland – Sexo, Crime e Política, de Christa Faust e Gary Phillips, sobre o submundo da pornografia. A Skript planeja ainda a versão do artista alemão Ralf König para Frankenstein, obra máxima de Mary Shelley, agora em uma perspectiva inédita pós mundo pandêmico.

Reed Room, série autoral de fetiche de Ed Piskor, que saiu pela Fantagraphics no ano passado chega por aqui em abril depois de ser proibida em vários países. Para junho a editora planeja ainda duas obras de Box Brown (autor de Cannabis e Tetris e em julho o segundo volume de Krazy Kat, obra máxima de George Harriman. Também estão previstas coletâneas de 2.000 AD, famosa revista britânica de quadrinhos e Noir, que reúne nomes como Jeff Lemire e Brian Azzarello em uma obra cheia de mistério e violência.

A Skript realiza pré-venda pelo Catarse antes da distribuição em lojas online.

Meu Amigo Morto, de Simon Gärdenfors (Divulgação).

Todavia

A editora planeja para este início de ano dois quadrinhos. O primeiro é Meu Amigo Morto, de Simon Gärdenfors, que aborda o luto a partir da perspectiva de um jovem sueco que perde o amigo para a meningite. A arte inconfundível de Gärdenfors, com suas formas arredondadas e economia cromática, finalmente dão as caras por aqui. Sai em fevereiro.

Está previsto ainda Os Santos, de Leandro Assis e Triscila Oliveira, uma adaptação em livro para o webquadrinho da dupla. No ano passado, a Todavia lançou a aclamada série Confinada (Top 10 na nossa lista de Melhores HQs do ano), dos mesmos autores.

Universo Guará

A editora anunciou vários títulos para este início de ano. Em março chega Solo, uma narrativa pós-apocalíptica de Dan Borges. Já em abril, a editora lança Preto Tipo A, de Gabriel Jardim.

Ainda estão previstos para o primeiro semestre quatro Almanaques Guará, antologia de quadrinhos da editora. O número 9 sai agora em janeiro e segue até abril.

Rosie na Floresta, de Nathan Cowdry.

Veneta

Já no início do ano, a Veneta planeja o terceiro volume de Hip Hop Genealogia, de Ed Piskor e Rosie na Floresta, de Nathan Cowdry. Esta última é uma HQ britânica cujo estilo de humor ácido lembra muito Simon Hanselmann. Ainda sem data estão previstos Frantz Fanon em Quadrinhos, HQ francesa de Frédéric Ciriez e Romain Lamy narrando a vida e as ideias do grande psiquiatra e filósofo martinicano.

A editora planeja para este ano a aguardada nova HQ de Marcelo D’Salete, autor de Cumbe e Angola Janga. O título ainda segue em aberto e a previsão de lançamento é para o final deste ano.

Leia Mais
Adeus ao cartunista francês Jean-Jacques Sempé, aos 89 anos