A quadrinista argentina vem ao Brasil lançar livro A Mão do Pintor (Lote 42), uma obra que retrata a a partir da história do pintor (1840-1902).

A Mão do Pintor mistura autobiografia familiar com fantasia. O tataravô da María, Teodosio Luque, foi um estudante de medicina enviado à Guerra do Paraguai. Para salvar o soldado e pintor Cándido López de um grave ferimento, ele teve de amputar uma de suas mãos. No livro, Cándido volta para pedir a María Luque que o ajude a finalizar uma série de pinturas relacionadas ao conflito.

Este é o primeiro livro de Luque, que também é artista visual, lançado no Brasil. A autora virá a São Paulo participar de atividades relacionadas à obra a partir de 19 de setembro, quando ministra palestra na Casa Tombada. No dia seguinte ela dará um workshop de autorretrato na Quanta Academia de Artes com inscrições a R$ 50. No sábado (21), ela lança no livro na Feira Compasso e bate papo com a tradutora Mariana Sanchez. Por fim, Luque tomará chimarrão e conversará com leitores na Banca Tatuí (rua Barão de Tatuí, 275, Santa Cecília) no dia 22 de setembro, a partir das 14h.

María Luque é autora dos livros Espuma (Galería Editorial, 2018), Chamamé (La Silueta, 2016) e Noticias de Pintores (Editorial Sigilo, 2019). Realizou uma série de trabalhos para a newsletter de Lena Dunham, da série Girls, e também participou da primeira edição da Sudestada, uma exposição de ilustradores argentinos contemporâneos com curadoria de Ángela Corti e Alejandro Bidegaray. Foi uma das criadoras do Festival Furioso de Dibujo em Rosario. Realizou exposições em países como Argentina, Portugal, Espanha e Alemanha. No começo deste ano, fez uma residência durante o festival de quadrinhos internacional Fumetto, na Suíça. Nasceu na cidade de Rosario e vive atualmente na Itália.

O livro, com tradução da Mariana Sanchez, tem 192 páginas coloridas e contou com apoio do Programa Sur, do ministério das Relações Exteriores da Argentina. Veja um preview:

Sem mais artigos