Quadrinistas latinos reinterpretam contos de fadas no sombrio e divertido Na Floresta
8.5

Os contos de fadas têm sua gênese nas tradições orais europeias, mas foram entronizados na cultura popular por conta das narrativas dos . Mesmo aqui, no Hemisfério Sul, totalmente deslocados das referências das histórias originais, damos importância e relevância às desventuras de Chapeuzinho Vermelho, João e Maria, João de Ferro, entre outros. Por isso é bem interessante uma obra como este Na Floresta, em que quadrinistas latinos reinterpretam essas lendas. Nomes como , e participam da edição com um olhar bem original para essas histórias tão conhecidas.

Cada história foi recontada por um artista diferente: “João e Maria”, por Federico Pazos; “João de Ferro”, por ; “Branca de Neve e Rosa Vermelha”, por PowerPaola; “A senhora Holle”, por Decur; “Jorinda e Joringel”, por María Elina Mendez; e “O príncipe Sapo” por Liniers. O livro se destaca pela diversidade nos estilos com cores suaves de Decur convivendo na mesma edição com a monocromia de Paola, por exemplo. Tem ainda espaço para humor (caso de Pazos) e até uma experimentação estética entre quadrinho e livro ilustrado (a linda história de Cabrera).

Leia Mais
Contos dos Irmãos Grimm ainda fascinam e assustam

O que todos trazem em comum é a abordagem narrativa que busca recuperar o tom das histórias originais, mas sem perder o encantamento e o tom fantasioso. Pensado como uma forma de educar as crianças em tempos difíceis, os contos organizados por Jacob e Wilhelm Grimm entre 1812 e 1815 eram preenchidos com uma moral que hoje nos soa violenta e dura demais para os pequenos. É que o tom sombrio dessas histórias foram amenizados com o passar dos séculos e ganharam um verniz fofo à medida em que foram embalados como produtos comerciais (tipo Disney e similares).

Detalhe de Jorinda e Joringel, de María Elina. (Reprodução)

As histórias não chegam a ser tão pesadas quanto às originais, mas recuperam um pouco o tom das narrativas, que já foram chamadas de “primeiras conselheiras da humanidade”, uma forma de alertar os pequenos sobre os perigos do mundo. Essa HQ é também uma ótima oportunidade para conhecer contos não tão difundidos dos Grimm, como a “Senhora Holle”, assinada por Decur, uma história bem violenta sobre ganância. O mesmo vale para “Jorinda e Joringel”, que teve traço de Elina Mendez, uma história de amor cercada de tragédia. Há também novas informações sobre contos conhecidos, como PowerPaola faz em “Branca de Neve e Rosa Vermelha”.

Na Floresta traz autores latinos já conhecidos por aqui como Liniers, Powerpaola e Pazos, mas traz ao público brasileiro a oportunidade de conhecer artistas como María Elina Mendez, Cabrera e Decur. É uma pena que a obra tenha sido lançada de maneira discreta ainda no final do ano passado, o que destoa do seu real valor tanto para a ainda pequena bibliografia de quadrinhos latinos com edição em português, bem como a abordagem original para contos famosos dos Irmãos Grimm.

NA FLORESTA: CONTOS DE FADAS DOS IRMÃOS GRIMM EM QUADRINHOS
 De Decur, Liniers, María Elina Mendéz, Pablo Carrera, PowerPaola e Federico Pazos
 [WMF Martins Fontes, 91 páginas, R$ 44,90 / 2019]
 Tradução de Sergio Molina

Compre: Amazon | WMF.

Leia Mais: Críticas de HQs

Comprando através dos links aqui na Revista O Grito! podemos receber comissões pelas vendas. Isto ajuda a manter o site no ar.

Leia Mais
Thera Blue saúda Exú em novo single ao lado de Gabi da Pele Preta