A cantora, compositora e violonista baiana Josyara é o primeiro nome confirmado na edição de 25 anos do Rec-Beat. Ela traz pela primeira vez a Pernambuco o show do seu segundo disco, Mansa Fúria. O festival ocorre entre os dias 22 e 25 de fevereiro, durante o Carnaval do Recife, no Cais da Alfândega, com entrada gratuita.

Mansa Fúria é uma reconexão da artista com suas raízes do sertão baiano e explora o imaginário da região na sonoridade e nas letras. O encontro com o mar na capital soteropolitana, as frutas, a aridez da terra, a religiosidade afro-brasileira e a ancestralidade estão bastante presentes nas músicas do álbum. Tudo isso é conduzido por uma musicalidade inventiva que une a versatilidade da voz e violão com texturas eletrônicas experimentais.

“Percebi que minhas canções refletem muito as águas e seus movimentos. É como meu corpo reage. Uma hora maré mansa, outra mar revolto, rio na enchente. Eu transbordo demais. Mansa Fúria também é o nome da música mais antiga do disco, tem cerca de 10 anos. E quando a escolhi vi que tinha uma força grande que ainda carrego comigo. Nela diz “por que eu quero é viver na mansidão, mansa fúria como o mar”. É isso. As outras canções falam também muito nessa calmaria raivosa de como levo a minha vida”, diz a artista.

O disco explora ainda a crítica social, sempre presente no trabalho de Josyara, como a luta contra o racismo e liberdade sexual.  “Não é fácil ser mulher e se abrir desse jeito, libertar o corpo e se assumir dona de si. Mas estamos no caminho de crescimento, estamos amplificando o olhar. Gosto de dizer o que sou e compartilhar esses sentimentos que são vividos por muitos”.

O festival tem patrocínio da Prefeitura do Recife e incentivo do Funcultura – Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura do Governo do Estado de Pernambuco.

25 anos de Rec-Beat

Criado em 1995, o Rec-Beat é hoje um dos mais importantes festivais de música do Brasil. Idealizado e produzido por Antonio Gutierrez, o Gutie, o evento construiu ao longo desses 25 anos uma história de sucesso e relevância, sobretudo pelo seu interesse em incentivar e dar visibilidade às diferentes sonoridades da música brasileira. Do manguebeat ao carimbó, passando pela eletrônica, jazz, rap, rock e brega-funk, o festival sempre celebrou a diversidade cultural que está no cerne do Carnaval da cidade. A programação traz nomes nacionais e internacionais no já tradicional palco no Cais da Alfândega, sítio histórico da cidade.


Caruaru

O festival também confirma, pelo terceiro ano consecutivo, edição especial em Caruaru, agreste do Estado. Será no dia 15 de fevereiro, a partir das 16h na Estação Ferroviária, no centro da cidade, com entrada gratuita. O evento conta com o apoio da Prefeitura de Caruaru e Fundação de Cultura e Turismo. As atrações serão anunciadas em breve.

Arte 2020

A cada ano, o Rec-Beat convida um artista para criar uma obra inédita com sua própria interpretação sobre o festival. Este ano o convidado é Wes Gama, artista visual e muralista goiano que se inseriu nas artes urbanas nos anos 2000 através do graffiti. A arte de Gama para o Rec-Beat 2020 tem forte identificação com a terra, pois retrata as raízes brasileiras mais profundas. A floresta como fonte da vida, o índio – os povos originários, a criança como símbolo de renovação e futuro, os animais, com destaque para a capivara, presente no nome do rio Capibaribe, que ladeia o palco do Rec-Beat, e que na língua tupi significa “no rio das capivaras”, são os destaques da arte que procura dialogar com personagens em pauta no momento atual do país.

Serviço:
Festival Rec-Beat 2020 – 25ª edição
Data: 22 a 25 de fevereiro de 2020  
Horário: 19h30
Local: Cais da Alfândega, Bairro do Recife

Edição especial em Caruaru
Data: 15 de fevereiro  (sábado)
Início: 16h
Local: Estação Ferroviária, centro da cidade
Gratuito

Leia Mais
Baco Exu do Blues lança novo disco pra vencer o isolamento, “Não Tem Bacanal na Quarentena”