O primeiro aplicativo agregador de livros-jogos brasileiro será lançado em novembro. Batizado de , o app promete uma nova experiência para leitores e gamers e estará disponível para iOS e Android.

O app está com uma campanha de financiamento coletivo no Catarse. A campanha busca viabilizar mais histórias para a “estante” do Reden, que irá estrear com pelo menos cinco livros-jogos. O projeto é feito por dois sócios e sua equipe, o Diretor de Historias Lucas de Lucca e o Diretor de Desenvolvimento Victor Ochoa.

O Reden vem com a proposta de trazer inovação ao mercado literário e de games, unindo livros a uma experiência parecida com a de um RPG em uma aplicativo cheio de histórias de gêneros variados. O usuário poderá encontrar desde romances LGBTI+ e chic-lit até uma narrativa de fantasia épica na mesma plataforma.

E esse é o grande diferencial do aplicativo: apesar da experiência de livro-jogo já existir, inclusive no formato físico, o Reden é o primeiro aplicativo que pretende agregar uma biblioteca deles. “O Reden foi criado como uma forma de consumo diferente das histórias escritas. Com histórias boas e gamificadas ao máximo, com ilustração, trilha sonora, efeitos, itens desbloqueáveis e conquistas que geram incentivos de continuar consumindo, um artifício muito usado em jogos, mas não utilizado em livros digitais ou físicos”, explica o idealizador do projeto Lucas de Lucca, 22 anos.

Segundo Lucas o aplicativo além de prometer entretenimento e interatividade para todo o seu público também pode ser útil para pessoas de outros modos . “O Reden pode ajudar pessoas com déficit de atenção e ansiedade, já que tem estímulos a toda hora. O usuário também pode consumir porque quer curtir uma boa história na identidade que ele se acostumou jogando videogames, mas de forma mais confortável e casual, sem precisar ligar computador, console ou sair da sua cama ou sofá”, conta.

O financiamento coletivo ficará disponível por mais de 30 dias e pretende alcançar a meta de R$2000.

Títulos que abrem o Reden

  • O Valor da Força (fantasia épica)
  • Isabel, a cartógrafa (fantasia juvenil)
  • Casados pela quarentão (romance lgbt)
  • Nero e Agripina (ficção mitológica)

O quinto título ainda está em período de finalização, mas será ao que tudo indica mais uma fantasia.

Leia Mais
Banca de Quadrinistas do Itaú Cultural realiza evento virtual estrelado por autoras