O primeiro aplicativo agregador de livros-jogos brasileiro será lançado em novembro. Batizado de , o app promete uma nova experiência para leitores e gamers e estará disponível para iOS e Android.

O app está com uma campanha de financiamento coletivo no Catarse. A campanha busca viabilizar mais histórias para a “estante” do Reden, que irá estrear com pelo menos cinco livros-jogos. O projeto é feito por dois sócios e sua equipe, o Diretor de Historias Lucas de Lucca e o Diretor de Desenvolvimento Victor Ochoa.

O Reden vem com a proposta de trazer inovação ao mercado literário e de games, unindo livros a uma experiência parecida com a de um RPG em uma aplicativo cheio de histórias de gêneros variados. O usuário poderá encontrar desde romances LGBTI+ e chic-lit até uma narrativa de fantasia épica na mesma plataforma.

E esse é o grande diferencial do aplicativo: apesar da experiência de livro-jogo já existir, inclusive no formato físico, o Reden é o primeiro aplicativo que pretende agregar uma biblioteca deles. “O Reden foi criado como uma forma de consumo diferente das histórias escritas. Com histórias boas e gamificadas ao máximo, com ilustração, trilha sonora, efeitos, itens desbloqueáveis e conquistas que geram incentivos de continuar consumindo, um artifício muito usado em jogos, mas não utilizado em livros digitais ou físicos”, explica o idealizador do projeto Lucas de Lucca, 22 anos.

Segundo Lucas o aplicativo além de prometer entretenimento e interatividade para todo o seu público também pode ser útil para pessoas de outros modos . “O Reden pode ajudar pessoas com déficit de atenção e ansiedade, já que tem estímulos a toda hora. O usuário também pode consumir porque quer curtir uma boa história na identidade que ele se acostumou jogando videogames, mas de forma mais confortável e casual, sem precisar ligar computador, console ou sair da sua cama ou sofá”, conta.

O financiamento coletivo ficará disponível por mais de 30 dias e pretende alcançar a meta de R$2000.

Títulos que abrem o Reden

  • O Valor da Força (fantasia épica)
  • Isabel, a cartógrafa (fantasia juvenil)
  • Casados pela quarentão (romance lgbt)
  • Nero e Agripina (ficção mitológica)

O quinto título ainda está em período de finalização, mas será ao que tudo indica mais uma fantasia.

Leia Mais
Mulungu reflete sobre nossa relação com o mundo no clipe de “Deus Tempo”