Semana Afro Daruê Malungo celebra a cultura popular de matrizes africanas através da dança

Festival acontece entre os dias 21 de novembro e 3 de dezembro, na comunidade de Chão de Estrelas, no Recife, e no Centro Cultural Grupo Bongar, em Xambá, Olinda

Rainhas em perfomance no festival. (Divulgação).

A 28ª Semana Afro Daruê Malungo vai acontecer entre os dias 21 de novembro e 3 de dezembro, na comunidade de Chão de Estrelas, no Recife, e no Centro Cultural Grupo Bongar, em Xambá, Olinda. O festival, que é um dos primeiros em Pernambuco voltados para a dança e cultura popular de matrizes africanas, tem programação gratuita e livre para todas as idades. Oficinas e apresentações estão entre as atividades.

Incentivada pelo Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura de Pernambuco (Funcultura-PE), a iniciativa tem o objetivo de movimentar a cena da dança negra pernambucana e de reverenciar a ancestralidade, proporcionando ao público formação, fruição e diálogos no âmbito da cultura de matriz africana. O tema deste ano é “Diversidade, Corpo e Território – As danças negras em rede”.

“Devido à pandemia da Covid-19, ficamos impossibilitados de realizar a Semana Afro Daruê Malungo durante os dois últimos anos, e agora estamos voltando com força total, na intenção de ampliar espaços, vozes negras, a diversidade de corpos e territórios a cada edição”, ressaltou Orun Santana, produtor executivo do evento e artista da dança.

Programação Completa:

21/11 a 25/11 – Oficina de dança afro para crianças (às 16h) +  Oficina de dança afro para jovens e adultos (às 18h), no Centro Cultural Grupo Bongar;

26/11 – Culminâncias das oficinas (às 17h) + espetáculo “No Jogo da Dança” da Cia. de Dança Afro Daruê Malungo (às 18h), no Centro Cultural Grupo Bongar;

27/11 – “Obirin-kunhã Dança Inflamada” de Marcela Rabelo (às 18h30) + “Meia Noite” de Orun Santana (às 19h), na sede do Centro de Educação e Cultura Daruê Malungo;

28/11 – “Nunes” de Juan Ferreras e Maria Flor (às 14h) + Fórum de Dança Negra (às 15h), na sede do Centro de Educação e Cultura Daruê Malungo;

29/11 – “Aldeias – Experimento do corpo ancestral” do Grupo Aldeias (às 19h), na sede do Centro de Educação e Cultura Daruê Malungo;

30/11 – “Rainhas” do coletivo Abayas (às 18h30) + “O Mensageiro” de Aline Gomes (às 19h), na sede do Centro de Educação e Cultura Daruê Malungo;

01/12 – “Nkaro” do Grupo Semente Fulô (às 18h30) + “Ser Rizoma” de Lane Luz (às 19h), na sede do Centro de Educação e Cultura Daruê Malungo;

02/12 – “Serpenteia” de Marcela Felipe (às 18h30) + “Arreia” de Iara Campos e Íris Campos (às 19h), na sede do Centro de Educação e Cultura Daruê Malungo;

03/12 – “Roda de Terreiro” da Cia. Artefolia (às 16h) + “Ijó Asè Erê” de Janaina Santos (às 18h) + “Africanidades (re)existência” do grupo Dança Nação Pernambuco (às 18h30) +  “Pisadas” do Manifesto Cultura Popular (às 19h) + “Resistência” do Balé Afro Majê Molê (19h30), na sede do Centro de Educação e Cultura Daruê Malungo.

Leia Mais
Longa Aldeotas, estreia de Gero Camilo como diretor, será exibido na Mostra Internacional de Cinema em São Paulo