Silvestre, de Wagner Willian, vence o Prêmio Jabuti de melhor quadrinho

Obra utiliza diferentes técnicas para contar uma história repleta de seres fantásticos

Foto: Divulgação/DarkSide.

A HQ Silvestre (Darkside), de Wagner Willian, venceu o Prêmio Jabuti na categoria Histórias em Quadrinhos.

O livro utiliza diferentes técnicas de pintura e desenho, aliado à linguagem dos quadrinhos, para contar a história de um velho caçador que recebe todo tipo de seres fantásticos em sua cabana na floresta. Leia a crítica da HQ.

Concorria nesta categoria a HQ pernambucana O Obscuro Fichário dos Artistas Mundanos, de Clarice Hoffmann, Abel Alencar, Maurício Castro, Greg, Paulo do Amparo e Clara Moreira, segue na disputa. A obra fala dos artistas fichados pelo DOPS durante a ditadura Vargas.

Também concorria, as HQs Fujie e Mikito (Mino), de Marcelo Costa e Yuri Andrey, Os Olhos de Barthô (Independente), de Orlandeli e Roseira, Medalha, Engenho e Outras Histórias (Pipoca e Nanquim), de Jefferson Costa.

Outros vencedores

A escritora pernambucana – e vereadora eleita do Recife – Cida Pedrosa venceu o prêmio de Livro do Ano do Prêmio Jabuti com Solo Para Vialejo (Cepe). Ela também levou na categoria poesia.

O romance Torto Arado (Todavia), de Itamar Vieira Junior, venceu como melhor romance. Já Raphael Montes ganhou na categoria romance de entretenimento com Uma Mulher no Escuro (Companhia das Letras). Urubus (Confraria do Vento), de Carla Bessa venceu na categoria conto e Nélida Piñon, na categoria crônicas, com Uma Furtiva Lágrima (Record).

Leia Mais
Banda carioca Do Amor lança a canção “Múmia da Meia Noite”