Sonia Guajajara é empossada e torna-se primeira indígena a chefiar um ministério

Cerimônia de posse aconteceu nessa quarta (11). Em seu discurso, a ministra denunciou a crise humanitária vivida pelos povos originários do Brasil

"Muitos povos indígenas vivem uma verdadeira crise humanitária em nosso país e agora estou aqui para trabalharmos juntos", disse Sonia Guajajara em seu discurso de posse. (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil).

Em cerimônia realizada nessa quarta-feira (11), no Palácio do Planalto, Sonia Guajajara assumiu o Ministério dos Povos Indígenas. A solenidade, anteriormente marcada para acontecer na última segunda-feira (9), foi adiada em razão dos atos golpistas que resultaram na depredação dos prédios dos Três Poderes. Na ocasião, também tomou posse a ministra da Igualdade Racial, Anielle Franco.

Primeira indígena a ocupar um cargo ministerial, Guajajara utilizou parte de seu discurso para denunciar problemas estruturais que foram agravados nos últimos anos. “São graves os casos de intoxicações provocados por mercúrio dos garimpos, pelos agrotóxicos nas grandes lavouras do agronegócio, pelas invasões em nossos territórios, pelas condições degradantes de saúde e saneamento, pelo aumento da insegurança alimentar”. Segundo ela, os povos originários vivem hoje uma crise humanitária no Brasil.

A ministra também chamou a atenção para o atual quadro de emergência climática, destacando o papel das demarcações de Terras Indígenas na luta pela preservação da biodiversidade. “Se, antes, as demarcações tinham enfoque sobretudo na preservação da nossa cultura, novos estudos vêm demonstrando que a manutenção dessas áreas tem uma importância ainda mais abrangente, sendo fundamentais para a estabilidade de ecossistemas em todo o planeta”, explicou.

Guajajara também aproveitou para anunciar a recriação do Conselho Nacional de Política Indigenista (CNPI), extinto em 2019, pelo governo anterior. De caráter consultivo, o CNPI contribui na elaboração e implementação de políticas públicas direcionadas às populações indígenas. “Garante a participação paritária entre representações indígenas de todos os estados brasileiros e órgãos do executivo federal”, detalhou a ministra.

A solenidade contou com a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele esteve acompanhado da primeira-dama Janja da Silva e do vice-presidente Geraldo Alckmin. Participaram também o ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, e a ex-presidenta Dilma Rousseff.

Com informações da Agência Brasil.

Leia Mais
Felipe S e Lucas Afonso criam um refúgio para a sociedade do cansaço no single “Cinco Tons”