SOPHIE, artista de vanguarda do pop, morre aos 34 anos

A artista e produtora escocesa caiu de uma altura muito grande em sua casa, em Atenas

Foto: Divulgação.

A cantora e produtora escocesa SOPHIE morreu em sua casa em Atenas, aos 34 anos, segundo informou a assessoria da artista. Primeira artista trans a ser indicada a um Grammy, ela foi um dos nomes de vanguarda no pop nos últimos anos.

A assessoria de SOPHIE confirmou sua morte neste sábado de manha citando “um acidente repentino” em sua casa. Em seguida, o selo Future Classic, afirmou que ela morreu após subir em um lugar bem alto para ver a lua cheia, quando escorregou e caiu.

Sophie Xeon nasceu em Glasgow na Escócia e ficou conhecida por fazer uma música eletrônica experimental buscando uma desconstrução das fórmulas já batidas do gênero. Apostada em texturas altamente sintéticas, picotadas, com batidas que fugiam à lógica, mas que, ao mesmo tempo soavam viciantes. Soava ora como um documento irônico sobre o estado do pop atual, ora como uma contribuição genuína ao estilo, apontando novas e ambiciosas direções.

Em seu disco de estreia, Oil Of Every Pearl’s Un-Insides apostou em um som mais hipnótico, que buscava nos elementos de dream-pop o som necessário para dar vazão a uma música altamente emotiva.

Sua música reverberou em artistas do pop mainstream como Lady Gaga, Charli XCV e Madonna, com quem colaborou em “Bitch I’m Madonna”. Também trabalhou com Rihanna, Arca, Vince Staples e Kim Petras, entre outros.

Leia Mais
REP Festival anuncia Matuê, Djonga, Racionais, Ludmilla e mais de cem atrações