Irandhir Santos e Rodrigo Garcia em cena de Tatuagem (Divulgação)
Irandhir Santos saiu como melhor ator (Divulgação)
Irandhir Santos saiu como melhor ator (Divulgação)

O filme Tatuagem, de Hilton Lacerda, foi o grande vencedor do 41º Festival de Gramado, dentro da mostra de longas-metragens de ficção. O longa levou três Kikitos, melhor filme, melhor ator (Irandhir Santos) e melhor trilha sonora (DJ Dolores).

O longa mostra um romance gay que se passa nos anos 1970. Parte da história foi inspirada no icônico coletivo Vivencial Diversiones, que movimentou a cena cultural de Recife e Olinda com suas provocações estéticas e debates sobre gênero nos palcos locais. Este é o primeir grande feito de Tatuagem, que deve ainda concorrer em outros festivais antes de chegar ao circuito comercial. Com informações do JC Online, de Gramado.

tatuagem2

Veja a lista completa.

LONGA-METRAGEM NACIONAL

Melhor Filme
“Tatuagem”

Melhor Diretor
Andradina Azevedo e Dida Andrade, por “A Bruta Flor do Querer”

Melhor Ator
Irandhir Santos, por “Tatuagem”

Melhor Atriz
Leandra Leal, por “Éden”

Melhor Roteiro
Domingos Oliveira, por “Primeiro Dia de Um Ano Qualquer”

Melhor Fotografia
Gallo Rivas, por “A Bruta Flor do Querer”

Melhor Montagem
Karim Harley, por “Os Amigos”

Melhor Trilha Musical
Dj. Dolores, por “Tatuagem”

Melhor Direção de Arte
Eloar Guazelli e Pilar Prado, “Até Que A Sbórnia Nos Separe”

Melhor Desenho de Som
Edson Secco, por “Éden”

Melhor Ator Coadjuvante
Walmor Chagas, por “A Coleção Invisível”

Melhor Atriz Coadjuvante
Clarisse Abujamra, por “A Coleção Invisível”

Prêmio Especial do Júri
“Revelando Sebastião Salgado”

LONGA-METRAGEM ESTRANGEIRO

Melhor Filme
“Repare Bem”, de Maria de Medeiro

Melhor Diretor
Roberto Flores Prieto, por “Cazando Luciérnagas”

Melhor Ator
Cesar Troncoso, por “A Oeste do Fim do Mundo”

Melhor Atriz
Valentina Abril, por “Cazando Luciérnagas”

Melhor Roteiro
Cesar Franco Esguerra, por “Cazando Luciérnagas”

Melhor Fotografia
Eduardo Ramirez Gonzalez, por “Cazando Luciérnagas”

Prêmio Especial do Júri
Grupo de Teatro Comunitário Catalinas Sur em “Venimos de Muy Lejos”

CURTA-METRAGEM

Melhor Filme
“Acalanto”

Melhor Diretor
Arturo Sabóia, por “Acalanto”

Melhor Ator
Kauê Telloli, por “A Navalha do Avô”

Melhor Atriz
Léa Garcia, por “Acalanto”

Melhor Roteiro
Francine Barbosa e Pedro Jorge, por “A Navalha do Avô”

Melhor Fotografia
Ale Sameri, por “Arapuc

Melhor Montagem
Gilberto Scarpa e Vinícius Gotardelo, por “Merda”

Melhor Trilha Musical
Luis Olivieri, por “Acalanto”

Melhor Direção de Arte
Rogério Tavares, por “Acalanto”

Melhor Desenho de Som
Tiago Bela, Rita Zarti, Marcelo Lopes da Silva, por “Tomou Café e Esperou”

Prêmio Especial do Júri
“Os Filmes Estão Vivos”

Menção Honrosa
“Carregadores de Monte”

Prêmio Canal Brasil
“A Navalha do Avô”, de Pedro Jorge

Prêmio Dom Quixote
“Repare Bem”, de Maria de Medeiros

Menção Honrosa: “A Oeste do Fim do Mundo”, de Paulo Nascimento, e “Venimos de Muy Lejos”, de Ricardo Piterbarg

Júri da Crítica
Melhor Curta-metragem: “Os Filmes Estão Vivos”, de Fabiano de Souza e Milton do Prado

Melhor Longa-metragem estrangeiro: “Repare Bem”, de Maria de Medeiros

Melhor longa-metragem brasileiro: “Tatuagem”, Hilton Lacerda

Leia Mais
Adeus a George Perez, ícone dos quadrinhos e criador dos Novos Titãs