Foto: Analu Abreu.

Trio Ofá lança disco de estreia inspirado pelo universo dos orixás

Primeiro trabalho da banda mistura rock progressivo e freejazz dentro de uma poética afro-baiana

O trio baiano Ofá mistura rock progressivo e freejazz dentro de uma poética afro-baiana no disco de estreia, “Leito d’Água”. Formado por Luan Tavares no violão e voz, Paulo Roberto Pitta no saxofone e sintetizador e João Paulo Rangel na bateria, o trabalho mergulha no universo estético e conceitual dos orixás.

A atmosfera musical reúne, entre as suas principais referências, a música de matriz africana, que atua acionando o corpo e a memória de uma identidade ignorada pelas bases racistas que formaram a sociedade brasileira; a poesia, que traz à tona a oralidade e se aproxima da natureza poética do português brasileiro; o rock progressivo e o freejazz, que formatam paisagens sonoras em timbres, melodias, arranjos e texturas.

Depois do EP “Além e mais”, de 2015, ano do início da trajetória da banda, lançado através do projeto Incubadora Sonora, o Ofá chega a este primeiro disco após dois anos de pesquisa e experimentação, que envolveram estudos etnomusicológicos e composicionais.

A criação das músicas se orienta pelos conhecimentos sobre a religião e a cultura afro-baianas, afirmando e celebrando a importância destes elementos para a formação da identidade do povo brasileiro. “Nas letras, o universo dos orixás é abordado de forma contemporânea, demonstrando como os ensinamentos dessa filosofia são úteis e aplicáveis a qualquer momento da história: é ancestral, é tradição, mas é também vivo, atemporal e acessível”, diz o grupo, na apresentação por e-mail.

O projeto “Ofá: Leito d’Água” tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

Leia Mais
Kaê Guajajara faz história com o primeiro álbum visual indígena do Brasil