Foto: Analu Abreu.

Trio Ofá lança disco de estreia inspirado pelo universo dos orixás

Primeiro trabalho da banda mistura rock progressivo e freejazz dentro de uma poética afro-baiana

O trio baiano Ofá mistura rock progressivo e freejazz dentro de uma poética afro-baiana no disco de estreia, “Leito d’Água”. Formado por Luan Tavares no violão e voz, Paulo Roberto Pitta no saxofone e sintetizador e João Paulo Rangel na bateria, o trabalho mergulha no universo estético e conceitual dos orixás.

A atmosfera musical reúne, entre as suas principais referências, a música de matriz africana, que atua acionando o corpo e a memória de uma identidade ignorada pelas bases racistas que formaram a sociedade brasileira; a poesia, que traz à tona a oralidade e se aproxima da natureza poética do português brasileiro; o rock progressivo e o freejazz, que formatam paisagens sonoras em timbres, melodias, arranjos e texturas.

Depois do EP “Além e mais”, de 2015, ano do início da trajetória da banda, lançado através do projeto Incubadora Sonora, o Ofá chega a este primeiro disco após dois anos de pesquisa e experimentação, que envolveram estudos etnomusicológicos e composicionais.

A criação das músicas se orienta pelos conhecimentos sobre a religião e a cultura afro-baianas, afirmando e celebrando a importância destes elementos para a formação da identidade do povo brasileiro. “Nas letras, o universo dos orixás é abordado de forma contemporânea, demonstrando como os ensinamentos dessa filosofia são úteis e aplicáveis a qualquer momento da história: é ancestral, é tradição, mas é também vivo, atemporal e acessível”, diz o grupo, na apresentação por e-mail.

O projeto “Ofá: Leito d’Água” tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

Leia Mais
Pabllo Vittar e Pedro Sampaio em clima de verão no clipe de “SAL”