Fela Kuti não dava o direito dele e peitou a ditadura nigeriana (Divulgação)

não dava o direito dele e peitou a ditadura nigeriana (Divulgação)

Fela Kuti, o criador do ritmo Afrobeat ganha uma homenagem na Casa do Cachorro Preto, espaço indie de Olinda que vem realizando exposições e eventos ligados à cultura alternativa. Para comemorar, a Casa recebe a banda , primeira banda do gênero no Recife.

O nome da banda faz referência ao estado de Ogum, na Nigéria, onde nasceu Fela Kuti. O Abeokuta interpreta canções de Kuti e conta com a participação do carioca Miguel Jorge, que tem um trabalho com afrobeat e toca com o grupo Feijão Coletivo (RJ), outro que também é devoto do ídolo africano.

Criado nos anos 1970, o afrobeat foi descoberto no final dos anos 1990, quando influenciou diversas bandas. Nos anos 2000 o eco chegou em bandas cultuadas como Vampire Weekend e aqui no Brasil em nomes como Bixiga 70.

http://www.youtube.com/watch?v=h4AA6EuZe-k

Já Fela Anikulapo Kuti é considerado uma das maiores personalidades africanas do século passado. Ele foi um dos principais opositores do governo totalitarista da Nigéria nos anos 1970 e defendia o pan-africanismo. Sua música é permeada por um discurso político anti-governo. Chegou a cantar no dialeto pidgin em vez do inglês como forma de atingir o povo mais diretamente. Tocou em bandas como Afrika 70 e Egypt 80. Foram 48 álbuns ao longo de sua carreira, até sua morte em 1997 aos 58 anos, em decorrência de complicações causadas pela aids.

http://www.youtube.com/watch?v=A-kMzxA-Ovw

Esta é a segunda vez que realiza o Fela Day. O evento começa sábado (26), às 17h e custa R$ 20. Ainda tocam neste dia os DJs Ravi Moreno e DJ 440. Anota o endereço: Rua 13 de maio, 99 – Cidade Alta – Olinda.

A banda (Foto: Clelio Tomas/Divulgação)

A banda (Foto: Clelio Tomas/Divulgação)

Sem mais artigos