Primeiro e único álbum do poeta Flaviola, Flaviola e o Bando do Sol (1974) tornou-se notável por ser um dos expoentes do movimento de contracultura recifense Udigrudi e por contar com grandes nomes da psicodelia nordestina em suas faixas.

Agora, o raro registro volta às lojas em LP de 180 gramas pela coleção “Clássicos em Vinil” — uma parceria da Polysom com a Rozenblit.

Ouça mais novidades musicais na nossa página Novos Sons!
Leia mais críticas de novos discos aqui na Revista O Grito!

Ao longo de suas treze canções, o escritor reforça sua aptidão ao trazer uma versão do espanhol Federico Garcia Lorca e outra do georgiano Vladimir Maiakovski em “Canção de Outono” (Canción Otoñall) e “Balalaika”, respectivamente.

O pernambucano também divide a autoria de “Palavras” com a poetisa Henriqueta Lisboa. O time de artistas participantes inclui Lula Côrtes e Zé da Flauta. Além disso, o virtuoso guitarrista Robertinho de Recife assina “Brilhante Estrela”, que abre o trabalho.

Peça importante do cancioneiro psicodélico do Nordeste, Flaviola e o Bando do Sol retorna ao mercado em qualidade sonora a altura de seu repertório.

Leia Mais
Emicida e Drik Barbosa juntos contra o trabalho infantil no clipe de “Semente”