A editora pernambucana lança, nesta semana, mais um livro pelo seu selo Coleção Solidária. Trata-se da coletânea de contos Abrigo, que reúne em torno da ação social a produção de dez contistas, numa seleção entre autores veteranos, nomes premiados e promessas ainda inéditas da literatura brasileira, dentre eles: Renata Santana, , Camilla Inojosa, Oscar Nestarez, Débora Ferraz, Gilvan Lemos, Joana Rozowykwiat, Diogo Monteiro, Carol Rodrigues, ; e organização de e .

A edição já está disponível para venda na Amazon e, assim como nas publicações anteriores, toda a renda obtida com as vendas será convertida em doações à ONG Samaritanos Recife, que cuida de pessoas em situação de vulnerabilidade.

Com organização de Cristhiano Aguiar e Thiago Corrêa Ramos, Abrigo reúne histórias sobre mudanças e os efeitos do tempo. Nas páginas da coletânea é possível encontrar um dos primeiros contos publicados pelo escritor pernambucano Gilvan Lemos (1928-2015), lá em 1948, na revista Alterosa. Nele, Gilvan promove um diálogo com o tempo, através da jornada de retorno ao mundo rural de sua infância, após três anos distante.

Também participam da coleção três vencedores do Prêmio Jabuti na categoria de contos: Marcelino Freire, Sidney Rocha e a escritora carioca Carol Rodrigues. Todos, cada um do seu jeito, trazem histórias sobre despedidas e suas consequências, como saudades e mudanças. Marcelino (que conquistou o prêmio com Contos Negreiros) traz um conto bem característico da sua prosa tão pessoal. Carol Rodrigues (do premiado Sem vista para o mar e atual semi-finalista do Prêmio Oceanos com O melindre nos dentes da besta), por sua vez, explora o viés aleatório da vida, que envolve a vontade dos outros em nosso destino, numa oferta de pontes e abismos.

Já Sidney Rocha (do premiado O destino das metáforas e recém-agraciado com o Prêmio Literário Guerra Junqueiro) apresenta uma história de despedida situada nos recentes vazamentos de óleo que atingiram as praias do Nordeste. O uso de fatos históricos também é visto nos contos de Renata Santana e Diogo Monteiro, ambos se mostraram rápidos em ambientar suas narrativas no mundo pandêmico. Renata (autora de Na terceira margem do agora) se vale de um tom mais realista, observando o passo-a-passo do vírus e suas implicações num grupo de amigos que se reuniam pra jogar na praça.

Já Diogo Monteiro, que prepara seu primeiro livro de contos e um título infantil, opta pelo fantástico, construindo uma metáfora em névoa para falar sobre o medo, a distância de amigos e familiares. O fantástico também está no conto do escritor paulista Oscar Nestarez, desta vez na vertente das histórias de terror, numa narrativa em que o desconhecido soa como convite.

Num viés mais realista, as escritoras Joana Rozowykwiat, Débora Ferraz e Camilla Inojosa, bordam histórias marcadas pela violência. Enquanto Joana e Camilla trazem reflexões sobre os abusos sofridos pelas mulheres, expondo conflitos entre o urbano e o rural, classes sociais e de gênero; Débora Ferraz (Prêmio Sesc e Prêmio São Paulo de Literatura) mostra que nem sempre as mulheres se encaixam no papel da inocência.

A coletânea de contos Abrigo é o terceiro volume da Coleção Solidária, uma ação social da editora Vacatussa. A Coleção Solidária foi lançada no início de julho com o lançamento do livro Restos de Família, do escritor Diogo M. de Almeida. Também no mês de julho, foi lançada a Trilogia da Febre de Cristhiano Aguiar.

Na sequência ainda virá um novo volume de contos, desta vez da escritora paulista Nathalie Lourenço (autora do livro Morri por educação). Até o momento, a ação já arrecadou mais de R$ 900 com os royalties das vendas, que serão integralmente destinados à ONG Samaritanos Recife.

Vendas: vacatussa.com ou direto pelo link: amzn.to/3hj07Ci. Preço do livro: R$ 9,90.

Com informações do Cultura PE.

Leia Mais
Céu e Liniker juntas na cósmica “Via Láctea”