Valéria Custódio lança disco Miragem almejando um futuro melhor

Álbum prega o afeto como redentor de uma sociedade caquética

Foto: Lethícia Galo. (Divulgação).

O segundo álbum da carreira de Valéria Custódio, Miragem vem provocando a possibilidade de sonhar com um mundo novo e refletindo sobre as velhas e insustentáveis formas do viver. Inspirado em Promise (1985), da banda britânica Sade, o disco traz o afeto como redentor de uma sociedade caquética e se relaciona com obra da artista, como a “promessa de um novo amanhã”.

“Sade Adu (vocalista da banda) é uma inspiração muito forte de voz, que usei nesse disco. Ele não tem grandes arranjos vocais, pois é um trabalho bem minimalista onde foquei toda a minha atenção em apresentar ao público, mais do que nunca, o meu timbre e a minha voz como realmente ela é”, contou Valéria.

Nina Simone, Billie Holiday, Marisa Monte e Jay Z figuram entre as principais influências do novo trabalho. As 10 faixas trazem em sua maioria, composições da cantora, e uma assinada por seu parceiro Kau Caldas. Durante a criação, desejando variedade, tanto artística como na produção, Valéria Custódio reuniu uma equipe diversificada e plural, onde mulheres, homens, comunidade preta e LGBTQIA+ participaram da construção.

O disco foi realizado com recursos do edital cultural ProAC e foi lançado de forma independente, com distribuição da Dois Produtora.

Leia Mais
Estreia: Hamlet, novo longa de Zeca Brito, acompanha o caos político no Brasil de 2016